22/04/2019

carros testados e avaliados

Renault_Sandero_01

Beleza galera!

 

Na segunda semana de Julho de 2016 fiz uma locação de um Sandero “1.nada”. Basicamente eu ficaria com o Ônix 1.nada por mais 10 dias, mas duas coisas me fizeram mudar de carro.

– 1º Quando fui para SP o Ônix “quebrou” minhas costas, pois o banco do carro é muuuuito ruim. Minha esposa adorou, pois ela é mais baixa que eu e para pessoas de menor estatura até dá para o gasto.

– 2º As rodas estavam bem desbalanceadas provocando muitas vibrações.

Sendo assim a locadora me disponibilizou o Sandero em troca ao Ônix. Aqui vai uma dica muito importante. Sempre que um problema é encontrado no carro que você aluga, é imprescindível notificar a locadora e substituir o carro imediatamente, indiferente de onde você esteja.

 

DADOS DO CARRO

* Sandero, modelo Expression ano 2015/2016 – Vermelho

* 1.nada

–> Potência de 80 cv no etanol e 77 cv na gasolina, a 5750 RPM.

–> Torque de 10,5 Kgf/m no etanol e 10,2 Kgf/m na gasolina, a 4250 RPM.

–> Peso em ordem de marcha: 1.013 Kg

–> Relação Peso x Potência: 12,66 quilos para cada cavalo de potência máxima. Quanto menor o índice, melhor.

Comparação com outros modelos similares: Ônix (12,63)

 

* Combustível: Flex

 

* Itens de segurança

–> Air Bag: Sim

–> ABS: Sim

–> EBD: Sim

–> ESP: Não

–> Controle de tração: Não

–> Controle de rampa: Não

–> Isofix: Não

–> Cintos de segurança: Transversais, com cinto abdominal para passageiro central do banco de trás.

 

* Categoria do veículo e locadora.

–> Foi locado na Unidas Rent a Car de Curitiba, Categoria B, que contempla veículos compactos hatch 1.0 com ar condicionado, direção hidráulica e quatro portas.

–> O carro estava com aproximadamente 32 mil km rodados.

 

CONDIÇÕES DE USO

Misto. Utilizei para uma viagem à SC e para rodar em Curitiba.

Seguem rotas utilizadas:

– Curitiba-PR para Gaspar-SC

– Gaspar-SC para Penha-SC

– Penha-SC para Curitiba-PR

Usei dois tanques de etanol.

 

No trânsito urbano de Curitiba-PR, utilizei para rotinas de trabalho-escola-faculdade-casa e vice-versa. Totalizou pouco menos de um tanque até a devolução.

 

AVALIAÇÃO

Espaço interno e porta-malas

O Sandero é de longe o carro “compacto” mais espaçoso que conheci. Acomoda bem os passageiros e bagagens. Fizemos 2 malas grandes, 2 malas de mão e um monte de tranqueira para ficar mais de uma semana fora de casa. Tudo isso foi no porta-malas sem problemas. Confere aqui!

20160715_102316

Para um Hatch, é um dos melhores porta-malas da categoria. Tem um teste que eu faço que já “quebrou as pernas” de muito vendedor de concessionária. Eu tenho uma caixa de transporte para levar meu dog (a Bela) pra cima e pra baixo, e esta caixa de transporte é grande. Em todos os carros que procurei ela só coube perfeitamente no porta-malas da Meriva, do Focus (antigo 2010, o novo não cabe), Megane Grand Tour, Golf (antigo 2012), do Fiesta RoCam e do Sandero. A condição era a seguinte: Entrou a caixa e fechou a tampa sem bater no vidro, podemos negociar, senão não fico nem para o café.

Carros que testei e não couberam ou não passaram na tampa: Peugeot 308, Hyundai I30, Citroen C3, Ford Fiesta (a partir de 2012), Chevrolet Ônix, Hyundai HB20, Ford Ka (a partir de 2015), Ford Focus( a partir de 2014), Volkswagen Golf 1.4 TSI (o antigo cabe).

 

Sobre os bancos e ergonomia na direção, o carro tem boa posição de dirigir, mas logo que se senta ao carro se percebe que ele é carro de mulher feito para o público feminino, ou baixinhos pessoas de estatura baixa.

A elevação do banco é mais “inteligente” que o Ônix e HB20, mas ainda é ruim. A posição de dirigir é menos “Kombi” que o Ônix, mas ainda é alto.

A regulagem do encosto do banco é pouco intuitiva, tipo 8 ou 80, pois a inclinação é feita por aquelas alavancas e não por roldanas. Difícil achar uma posição aceitável.

Posição “H” é razoável, mas as minhas costas sentiram muito incomodo na parte alta. Parece que tem um sobressalto que fica incomodando as costas.

 

O volante tem regulagem de altura (profundidade não), e isso já ajuda bastante a encontrar e melhor posição de dirigir sem comprometer leitura de instrumentos. O volante é muito espesso e prejudica quem tiver mão pequena, principalmente ligada ao fato que a direção hidráulica é a mais pesada dos carros que dirigi.

 

Sobre os tapetes, neste carro não temos “tapetes mágicos”! São fixados por presilhas originais de fábrica no solo do carro. A Renault está de parabéns, pois caprichou neste quesito.

 

Sobre os controles de ventilação, os botões mudaram em relação à geração anterior, mas tem a pega ruim e o controle de circulação de ar “emperra” quando se tentar mudar a direção do vidro para qualquer outro lugar.

Isso se deve talvez ao comando ser efetuado por varetas. Nos carros mais novos este controle é por engrenagem e não gera resistência.

Pelo menos o fechamento da circulação interna do ar é prático e funciona em todas as direções dos difusores diferente das frescuras de outros modelos.

 

Ar condicionado

Utilizei pouco o ar condicionado, mas funcionou muito bem, pois peguei muita chuva na estrada em alguns trechos. O problema é que exige paciência do motorista com relação a potência, ou falta dela, e se precisar fazer uma ultrapassagem ou acessar uma via de velocidade maior (BRs e Rodoanéis) tome muito cuidado!

 

Nível de ruído

O carro possui bom nível de ruído e não chega a incomodar, mas neste ponto o Ônix é imbatível em silêncio do trem de força.

 

Suspensão

O Sandero é de longe bem mais confortável que o Ônix ao rodar, principalmente em ruas esburacadas que quase nem existem no Brasil… Eu particularmente prefiro um carro mais “firme” como o Ônix, mas o Sandero é bem mais confortável aos passageiros.

Deve-se tomar cuidado na estrada, pois sua suspensão mole tende a provocar maior rolagem da carroceria, e se você não estiver acostumado pode se assustar.

 

Vida a bordo

Esta versão contém um computador de bordo de simples leitura, mas cheio de funções. Exibe hodômetro total, hodômetro parcial, quantidade de litros de combustível utilizados desde a última reinicialização, consumo médio, consumo instantâneo, autonomia prevista (quanto falta em KM para acabar o combustível), etc. Tudo fica visível no mostrador digital ao lado direito do velocímetro, e com um simples toque na alavanca do limpador de para-brisa.

 

O sistema multimídia é um show à parte, e utiliza equipamentos da Sony. Não tem dificuldade de uso, tem botões grandes e de fácil navegação. O computador de bordo dá muitas informações tanto no painel como no sistema multimídia. Tem carro grande que não tem o que ele tem…

O som pode ser controlado por alavanca extra no lado direito do volante, e a qualidade dos alto-falantes são muito boas (muito mesmo!). O Ônix e HB20 são caixas de abelha perto da qualidade dos alto-falantes do Sandero.

Existe um módulo no sistema multimídia que se chama “DRIVE ECO2”. Ele mostra as condições de rodagem instantaneamente. Este sistema ainda indica no painel a melhor hora de trocar de marchas (que eu particularmente não uso).

O único “porém” é que quando o Sol está a pino ele “cega” o visor, e no esforço de enxergar direito pode dar acidente por tirar a atenção da via. Veja aqui como fica com o Sol batendo forte.

20160717_104913
O sistema elétrico dos vidros é lento que dói! Pensei que fosse algo neste carro, mas nas outras locações que fiz de Sandero o problema persiste. Nesta versão não tinha sensor de 1 toque, coisa que tinha no Ônix pelo menos no motorista, mas não era intuitivo (muito sensível).

 

Sobre as portas do veículo, cabem aqui considerações importantes principalmente que tem filhos pequenos.

As trava de segurança das portas traseiras funcionam muito bem contra abertura involuntária interna, mas você vai ter que descobrir por tentativa e erro qual é a posição “travado” ou “destravado”, ou ler o manual. Até o JAC J2 tem a inscrição do cadeado na lataria desta bendita trava.

As portas são pontiagudas, então tomem cuidado para não se acidentar. Este é o ponto que mais me decepcionou no projeto. Principalmente as portas traseiras formam um ângulo pontiagudo na parte superior.

Imagine a seguinte situação: Retirei minha filha do carro, coloquei-a no chão e ao me virar tomei uma cutucada no ombro que está doendo até hoje! Minha esposa foi na cabeça, bem na área de têmpora. Nunca a vi falar tanto palavrão pra um carro… 😯

Para evitar novos acidentes, comecei a colocar a mão nesta quina da porta. Observação pertinente: O Clio não tem isso e é um projeto bem mais barato.

 

Motorização e câmbio

Para a proposta “1.fraco”, esta parte me surpreendeu. Tem os mesmos 80 cv do Ônix e praticamente o mesmo peso, mas nitidamente é mais esperto. Estou achando muito “Mandrake” estes 80 cv da Chevrolet… Pode ser pôneis!

O câmbio merece uma consideração, pois é muito ruidoso. Aqueles que nasceram na década de 80 ou menos devem lembrar-se desta situação. Em meados dos anos 90 o Top/Luxo/Burguês era ter um baita sonzão Roadstar, Pioneer, etc., e era normal os instaladores não aterrar corretamente o som/caixas. Quando se acelerava o giro do motor era propagado nas caixas de som. É exatamente isso que o Sandero faz, mas o barulho vem do câmbio. O mesmo acontece com o Clio, então deve ser coisa da marca.

O trambulador passa as vibrações do motor para a alavanca de câmbio. Quando acelerava o carro, a alavanca mexia como os saudosos Corcel I, Corcel II e Chevetão!

A 5ª marcha é pouco intuitiva para engatar. Exigem atenção e tem que jogar a alavanca pra lá do deus me livre para não engatar uma 3ª.

 

Consumo

KM inicial: 29.724

KM final: 30.580

Não dá para dizer que foi ruim considerando que o carro andou praticamente todo tempo na estrada carregado até o talo. Andei só na pinga.

Na média na estrada faz 10,2 Km/l sem AC boa parte do tempo, aferido pelo computador de bordo e confirmado depois na bomba.

– Fez 10,9 Km/l andando em média a 120Km/h na IDA, aonde se pega uma descida de serra. Usei pouco AC.

– Na volta fez 9,5 Km/l, com subida de serra. Se tivesse com pouca bagagem seria mais econômico ainda. Usei pouco AC.

– Na cidade fez 9,5 Km/l na pinga. Bom número, mas sem AC ligado.

 

Confira clicando aqui o ranking de consumo das locações realizadas por mim.

 

COMENTÁRIOS GERAIS

Comparando com a 1ª geração é notória a evolução do projeto como um todo, exceto o motor que já se mostra no limite do projeto. Uma fonte muito confiável, que é engenheira na Renault, ficou uma semana testando a nova família de Sandero, usando uma “mula” Sandero (Dacia) 2016 com motor 0.9 Turbo, vindo direto da Europa. Segundo ela o carro tem algo em torno de 14 Kgf/m de torque e 100 cv. Agora é aguardar a novidade que deve estar em vias de ser homologada para circulação no Brasil.

Quanto ao acabamento, é espartano, mas sem erros de projeto e sem “inventar moda” como no caso da porta do Ônix. Tem gente que adora painel emborrachado e material refinado, mas pra mim, particularmente é bobagem. Não vou ficar alisando o painel do carro e tampouco mordendo para ver se é macio… Não fazendo barulho está ótimo, e isto ele não faz.

 

Pergunta crucial

20160711_133735

 

Independente de preço ou poder aquisitivo, você compraria este carro?

Para uso rodoviário não, pois os bancos são desconfortáveis e isto é crucial para ficar horas dirigindo. Para trechos de viagem de no máximo 2 hrs, aí sim seria uma opção.

Para uso urbano talvez, mas suas dimensões são exacerbadas, e eu sou muito fã de carro compacto.

 

 

Grande abraço!

Eder Matias

 

Extras

Não deixe de conferir clicando aqui a avaliação feita pelo Ricardo deste mesmo modelo de veículo!

 

Confira também nossa avaliação em vídeo!

 

[su_youtube_advanced url=”https://www.youtube.com/watch?v=8umks3efqCE” playlist=”https://www.youtube.com/watch?v=8umks3efqCE&list=PLYUV0kG93O25QlrJYA47bHwfPEy80c6Id” width=”400″ height=”225″ autoplay=”no” rel=”no”]

Eder Avalia

2 thoughts on “Avaliando Sandero 1.0 2015/2016 – Expression”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias

Arquivos

Nosso Feed