22/10/2017

carros testados e avaliados

Avaliando | BOLT EV | Veículo 100% elétrico

Avaliando | Up! TSi | Test Drive

SUPER TRIO | Os melhores carros do Brasil

Sob Nova Direção

Avaliação | Renegade 1.8 | Test Drive parte 2

Arrow
Arrow
Slider

O final do ano é uma época propícia para avaliar tudo que passou no período. Com a equipe do Avalia Carros não é diferente. Então, após acalorados debates, resolvemos criar nossa lista com os piores carros de 2016. Não somente considerando as vendas, mas pelo projeto, pelo design, pelo preço, pelo desempenho de cada veículo. Talvez nossa lista não seja tecnicamente perfeita; provavelmente nenhuma é. Mas consideramos importante publicar a opinião do lado de cá, dos consumidores. Eis os nossos escolhidos:

fiat mobi

 

1- FIAT Mobi:

O Mobi foi desenvolvido pra ocupar a faixa de carro de entrada da montadora italiana. A Fiat sempre foi forte neste segmento. Acontece que o Mobi não agradou muito. Nem mesmo com o novo motor de 3 cilindros. A lista de reclamações é extensa, indo do design, passando pela mecânica e chegando ao detalhes internos. Se o cliente for comprar todos os adicionais, o Mobi acaba custando o mesmo valor de alguns modelos bem melhores.

 

2- Ford New Fiesta:

O New Fiesta não é exatamente um carro ruim. Mas tem alguns problemas graves. O principal é o “maravilhoso” câmbio Powershift. O porta-malas não é grande coisa, assim como o acabamento interno. O preço não é dos mais atraentes, derrubando o custo X benefício. O resultado final é que o carro acabou encalhando e vendeu apenas 1601 unidades em 2016, menos que o Lifan X60 (1724).

 

3- Volkswagen Golf:

O Golf já teve dias melhores. Chegou a ser referência de carro moderno. Mas hoje a realidade é outra e o modelo vendido no Brasil está totalmente defasado. E o pior é ver a VW cobrando mais de 100 mil pelo carro. Só valeria se fosse na base do compre 1, leve 2.

 

4- Chevrolet Cobalt:

Este é o “patinho feio” da Chevrolet.

Além de ter um design questionável, raramente você o verá sem adesivos ou sinalizador de Táxi, cujo público é cativo e atraído pelos ótimos descontos da montadora (variam de 15 a 20% um Zero Km).

Seu irmão mais novo entrega um pacote tão recheado quanto e com um valor mais baixo, o que deixa o Cobalt em desvantagem ao Prisma. Mas verdade seja dita, seu interior oferece alguns mimos perdidos nos carros da “gravatinha”, como por exemplo um sistema de regulagem de altura do banco eficiente e bem melhor que o Prisma.

Em contrapartida, o Cobalt equipa o conhecido “Monzatec”, ou seja, motor extremamente defasado com arquitetura herdada dos antigos e saudoso Monza da década de 80! Hoje qualquer 1.0 3 cilindros é mais potente e econômico.

Eventualmente você verá um Cobalt “não frotista”, mas provavelmente será de algum senhor ou alguma senhora da 3ª idade que tem saudades do Monza.

 

5- Chery Tiggo:

Nem vamos bater tão forte neste até porque ele não aguenta muita pancada.
O Chery Tiggo é o SUV compacto mais barato do mercado, mas suas qualidades terminam ai, sua péssima reputação aflora na internet, seja na opinião da imprensa especializada, seja na opinião dos seus proprietários. Uma publicação famosa inclusive chega a questionar se pagar barato neste carro vale mesmo a pena e lista uma série de problemas do carro, como consumo alto e barulho ensurdecedor. Tudo por culpa do alto regime de rotação do motor somado ao baixo desempenho; com isso acelera-se mais para obter um mínimo de desempenho e o consumo sobe. Por parte dos proprietários as reclamações ficam por conta das luzes de LED que queimam com frequência, bateria que explode, entre outros absurdos. Apesar de tudo parece que o consumidor está bem informado com relação ao carro, afinal venderam-se até o momento apenas 324 unidades, desde o começo do ano até agora. Para se ter uma ideia até o Camaro, o último da lista de mais vendidos da Chevrolet, vendeu mais, 417 unidades de janeiro até agora; mas o Camaro custa mais de R$ 200 mil.

 

6- Toyota Etios:

Este é o campeão e leva o troféu “deus me livre”, e se for o sedan piora mais ainda a situação.

O carro é muito funcional, com uma mecânica invejável, mas seu design não caiu no gosto dos brasileiros. Seu painel central é de gosto e estética extremamente duvidosa, apesar do razoável pacote de itens de conveniência e conjunto mecânico.

Este não muito simpático nipônico já mostrou que tem moral mesmo com seus parcos 95 cv, mas com uma relação peso x potência que conferem muita economia e agilidade.
 
Renault Clio
 

7- Renault Clio:

Sabemos que o Clio é um modelo defasado. Está só ocupando a moita enquanto a Renault não lança o Kwid (que belo nome, hein…). Mas isso não o isenta de culpa. É uma péssima opção de compra. Não tem atrativo algum! Quer dizer, é pequeno, cabe em qualquer vaga.

 

8- FIAT Freemont:

651 unidades vendidas menos que a Subaru Forester, outra ilustre desconhecida com 653 unidades vendidas.

Vamos começar pela parte técnica: A Freemont é um carro que foi “depenado” para o mercado nacional.
Apesar da casca ser idêntica a Dodge Journey, são carros bem diferentes!
Freemont:
– Especificação: Motor 4 cilindros em linha, 2.4cm3, 16 válvulas, só a gasolina.
– Números na pista: 172 cv a 6.000 rpm e 22,4 kgfm de torque a 4.500 rpm
– Aqui a coisa dói: Cambio automático de 4 marchas!

172 cv a 6.000 rpm é sacanagem pra uma banheira dessas. Ele consegue ser mais lento que um carro 1.0 com suas míseras 2 toneladas.

Journey
– Especificação: Motor V6, 2.7cm3, 16 válvulas, só a gasolina.
– Números na pista: 185 cv a 5.500 rpm e 26,1 kgfm a 4.000 rpm.
– Cambio automático de 6 marchas!

Em algumas versões com tração integral e V6 Pentastar de 280 cv, que acelera de 0-100 Km/h em 8s.

Ambos não tem perfil para nosso país, devido ao tamanho, peso e consumo de combustível. Fora a manutenção que é uma paulada!

 

9- Chevrolet Captiva:

Mesmo com a febre SUV contaminando mais que a Dengue e apesar das estimativas otimistas das montadoras de que o mercado de SUVs no Brasil poderá ultrapassar a média mundial de 20% de participação do mercado, podendo atingir 22% ainda em 2018, algumas SUVs penam, patinam e não chegam a lugar algum, é o caso da Chevrolet Captiva que não conseguiu emplacar mais do que 1.076 unidades em 2016, na Chevrolet só emplacou mais que o Camaro -o lanterninha da lista da montadora estadunidense- mas grande parte da culpa por esse desastre vem da própria GM Brasil, afinal já tem mais de 2 anos – desde julho de 2014 – que a Captiva foi reestilizada no exterior, na Austrália ela já passou por “duas” reestilizações nesse período inclusive, até no Chile ela já ganhou frente nova – desde de junho deste ano – mas por aqui ela continua a mesma “carroceira” digo, com cara de roceira, está pagando o preço.

 

10- Volkswagen:

O último da lista não é um carro específico, mas uma montadora. Sim, a Volkswagen. Pelo conjunto da obra. Pelo escândalo da fraude no controle de poluentes. Pelos problemas com fornecedores de autopeças. Creio que 2016 foi o pior ano na história da montadora alemã. Tá na hora de tomar vergonha e corrigir o rumo. Talvez, quem sabe, voltando a ser o “carro do povo”.

 

Equipe Avalia Carros
Eder Matias, Ricardo Rico e Tony

Artigos Relacionados

Notícias

5 comentários em “Os 10 Piores Carros de 2016”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *


* Obrigatório

Categorias

Arquivo

Enquete

Qual tipo de carro você prefere?
  • Sua opção

Nosso Feed