19/03/2019

carros testados e avaliados

Avaliação | Kia Forte | Multimídia parte 2
NOVO CHEVROLET ONIX
Avaliação | Kia Forte – Cerato | Central Multimídia
Avaliação | Kia Forte – Cerato | 33.940 km
Avaliação | Kia Forte | 33.940 km
previous arrow
next arrow
Slider
Pneu

Beleza galera!

 

Neste artigo vamos abordar uma discussão polêmica: Durabilidade dos pneus.

É polêmica porque não há um órgão regulatório que especifique como a durabilidade de um pneu deve ser medida, então cada fabricante faz a sua medida, e obviamente usam dos mais astutos artifícios.

 

COMO MEDIR A DURABILIDADE DE UM PNEU

Uma das formas mais comuns de saber a durabilidade de um pneu é através de uma medida estampada no pneu, chamada Tread Wear.

 

Pneu - Tread Wear Mark

Pneu – Tread Wear Mark

 

O Tread Wear é uma medida que varia de 60 a 700. Quanto maior o número, mais o pneu irá render, e é aqui que entra o “migué”.

Pneu - Tread Wear Mark

Pneu – Tread Wear Mark

 

Não é de hoje que a área comercial da indústria automobilística utiliza os números para “inflar o potencial” do seu produto.

Exemplos clássicos é o que não faltam:

–> Ford Focus: Na versão 1.6 de entrada não há nada informando que o motor é 1.6, mas na versão acima, a 2.0, há um adesivo na tampa traseira informando que é um 2.0.

–> Honda Civic: Na versão fabricada até 2016, os modelos 1.8 até possuíam um adesivo normal na tampa traseira informando ser um 1.8, mas o 2.0 tinha um adesivo maior e em vermelho. A nova versão Turbo tem um baita adesivo informando ser um Turbo, mas não menciona ser um 1.5.

–> A Chevrolet sempre destacou os motores 1.8 de seus carros, em especial o saudoso Corsa, em compensação no Cruze antigo não havia nenhum informativo de que o motor era um 1.8.

 

O que quero dizer é que o Tread Wear de 450 entre fabricantes diferentes não é padrão, mas apenas uma referência.

 

Depois que descobri os pneus da marca Continental, nunca mais comprei outros pneus por uma questão simples de melhor custo x benefício.

Tive três tipos de pneus da Continental:

–> ContiSportContact: Este pneu tinha uma aderência absurda, na pista seca e principalmente no molhado. Foi a alegria dos Track Days por um bom tempo. Seu indicador Tradeware era de 320, e durou pouco mais de 35 mil quilômetros no Ford Ka Action.

–> ContiPowerContact: Este pneu tinha muita aderência, mas menos que o SportContact. Usei este tipo de pneu em Track Days e nunca incomodou com deformações, bolhas, etc. Seu indicador Tradeware era de 480, e durou pouco mais de 70 mil quilômetros. Talvez durasse mais, pois tinha bastante borracha até baterem no meu Focus GLX.

–> ContiEcoContact: Este pneu tem boa aderência e dura bastante, mas é voltado para medidas de rodas de carros populares. Vendi o Ford Ka Action para meu irmão e ele ficou com ele por 90 mil km.

 

Tread Wear Indicator (TWI)

Auxiliando a medida do Trad Wear, existe entre os sulcos dos pneus o Tread Wear Indicator (TWI), que nada mais é um indicador de segurança. Quando este é atingido, significa que os níveis de segurança finalizaram, e não há mais garantia de estabilidade, tanto no seco como no molhado (principalmente).

 

Algumas marcas já utilizam dois tipos de Tread Wear Indicator, sendo um específico para pista seca e outra para pista molhada.

 

Pneu - TWI Seco

Pneu – TWI Seco

Pneu - TWI Molhado

Pneu – TWI Molhado

 

QUAL A HORA DE TROCAR OS PNEUS

Existe dois itens que se deve olhar para saber se deve ou não trocar os pneus: Validade e o indicador TWI.

 

De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro, o pneu deve ser substituído quando os sulcos atingirem a profundidade de 1,6 mm.

Note que a regra vale também para caso somente um dos sulcos do pneu atingir esta medida.

Esta medida pode ser detectada quando o desgaste dos blocos da banda de rodagem atingir a altura dos ressaltos posicionados nos sulcos dos pneus, chamados de T.W.I. (Tread Wear Indicators), igualmente espaçados e dispostos ao longo do perímetro da banda de rodagem.

Caso haja bolhas ou deformações, o pneu deve ser substituído o quanto antes, independentemente da profundidade dos seus sulcos, pois o pneu pode estar estruturalmente comprometido. (Fonte: Continental Pneus)

 

Está curioso para saber muitos detalhes sobre os pneus, consulte quem manja do assunto aqui!

 

Espero que este artigo seja útil para a próxima aquisição dos pneus do seu veículo.

 

Grande abraço!

Eder Matias

 

EXTRAS!

 

Vai sair de férias?

Confere aqui algumas dicas sobre mecânica e manutenção, que podem livrar você de dores de cabeça:

–> Cuidados com ar condicionado do veículo

–> Como distribuir corretamente as bagagens no veículo

–> Calibrar os pneus corretamente

–> Escolher o melhor horário para viajar de carro

 

Pensou em alugar um carro?

Vocês também podem conferir aqui outras dicas sobre férias:

–> Dicas de locação de carro nas férias

–> Dicas sobre seguros de veículos alugados

Dicas Mecânicas

5 comentários em “Como saber a durabilidade do pneu”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Categorias

Arquivo

Enquete

Qual tipo de carro você prefere?
  • Sua opção

Nosso Feed