13/04/2024

carros testados e avaliados

Conceito de Rodagem Mínima

 

Quanto mais se roda com um veículo mais se gasta com combustível e manutenção, assim como rodar menos significa diretamente um menor custo com manutenção e combustível, é uma relação direta. E se todos os gastos com o veículo se limitassem apenas a estes dois estaria tudo perfeito, entretanto um veículo possui outros gastos além de combustível e manutenção. Existem gastos que ocorrem mesmo o veículo estando parado, imobilizado ou mesmo fora de uso. São os chamados gastos fixos como seguro, Licenciamento, IPVA e sobretudo a desvalorização que ocorre estando o veículo em uso ou não. E para que estes gastos fixos sejam diluídos é preciso rodar e quanto mais se roda mais esses custos são diluídos. É a relação custo x benefício, o veículo roda e quanto mais ele roda maior é o benefício em detrimento do custo “total” mesmo aumentando-se o gasto com gasolina e manutenção.

 

O maior representante desta relação é o Custo por Quilômetro Rodado pois quanto mais se roda com um veículo menor ele fica. É o benefício superando o custo na relação e desta forma não há limite máximo de rodagem. Quanto mais rodar melhor. Já a recíproca não é verdadeira pois não é uma relação linear. É verdade que quanto menos um veículo rodar maior será o Custo por Quilômetro Rodado acontece que este custo pode ser ainda maior se o veículo rodar bem pouco, vejamos:

 

Plano de revisão periódica

 

Lendo o manual do proprietário de qualquer veículo, lá encontramos o plano de revisão periódica para uso normal e para uso severo, e normalmente é considerado uso severo as seguintes situações:

1 – Operação frequente em estradas irregulares de terra, lamacentas ou com areia
2 – Operação em estradas com poeira
3 – Viagens com elevada carga, reboque ou bagageiro no teto
4 – Quando a maioria dos percursos exige marcha lenta durante um longo período ou funcionamento contínuo em condições de rotação baixa frequentes (como no “anda e para” do tráfego urbano denso)
5 – Quando a maioria dos percursos não passa de 6 km (trajeto curto) com o motor pouco aquecido ou viagens curtas repetidas de menos de 15 km em temperatura abaixo de 0ºC (zero grau centígrado) pois a temperatura do motor não alcançará a temperatura de funcionamento normal
6 – Usado como táxi, carro de auto-escola, veículo policial ou atividade similar

 

E no caso do Chevrolet Onix Joy temos um adicional:
7 – Quando o veículo permanece, com frequência, parado por mais de dois dias

 

Vamos considerar a troca do óleo do carro como referência por ser o óleo o componente que se deteriora mais rapidamente e deve ser trocado com maior frequência. Nos casos de uso severo relatados acima a troca do óleo do motor deve ocorrer na metade do tempo ou da quilometragem quando comparado com o uso normal. No caso específico do Onix os prazos caem de 10 mil km em 12 meses para 5 mil km em apenas 6 meses. E como vimos deixar um Onix parado por mais de 2 dias com frequência reduz o prazo da troca de óleo pela metade, ou seja, é um gasto maior em um menor espaço de tempo, apenas por conta do carro estar parado.

 

E se considerarmos que o carro deve rodar 10 mil km em 12 meses em operação normal ou 5 mil em 6 meses em operação severa temos uma média do quanto o carro deve rodar mensalmente para que a troca do óleo seja feita por quilometragem e não por tempo. Fazendo as contas temos a média de 834 km por mês. Este é o conceito de Rodagem Mínima que consiste em:

 

> Rodar o mínimo suficiente para que a reposição de qualquer componente do veículo seja feita sempre por “distância” percorrida, nunca por “tempo” decorrido.

 

Está ai o conceito da rodagem mínima que serve para evitar que o custo com o veículo seja ainda mais pesado no seu bolso. Afinal um carro foi feito para rodar e não para enfeitar a garagem. Este conceito da rodagem mínima deve ser sempre considerado na compra do veículo pois como podemos perceber deixar um carro parado na garagem para se deslocar a pé, de moto, de ônibus, a cavalo, carro por aplicativo ou qualquer outro meio de locomoção fins de “poupar” o seu carro próprio não evitará gastos com ele, muito pelo contrário, como foi comprovado acima, aumentará ainda mais. Então, como diria Optimus Prime o líder robótico dos Autobots: – Vamos rodar!

 

É isso ai pessoal, até a próxima!

 

Ricardo Rico
Membro da equipe Avalia Carros, Ricardo Rico é Instrutor de Trânsito formado pelo CEVAT credenciado pelo DETRAN/SP e também é DOV – Despachante Operacional de Voo.

 

Viu o Custo por Quilômetro Rodado do nosso Gol em Avaliação Permanente?
Acesse:

Avaliando | Quanto custou manter um GOL CL 1.8 em Setembro de 2022

 

O Avalia Carros é uma iniciativa independente e como tal está aberto às propostas de negociação para parcerias de colaboração e publicidade, caso seja de seu interesse deixe recado nos comentários que entraremos em contato.
Equipe Avalia Carros

 

Editorial

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias

Arquivos

Nosso Feed