20/09/2019

carros testados e avaliados

Beleza galera!

 

Na primeira semana de Junho de 2016 aluguei um Chevrolet Ônix 1.fraco 2015. Era para eu estar com um Ford Fiesta 1.5 ou um Citroen C3 1.6, mas deu uma confusão na locadora com relação à reserva, e o que me sobrou foi um Ônix. Se não tem tu, vai tu mesmo…

Entre as opções disponíveis que eu tinha categoria B, minha esposa deu um “pitaco” e escolheu o Ônix para experimentar.

 

DADOS DO CARRO

Ônix 1.fraco, com AR e Direção, mas “basicão”. 16 mil rodados. Vidros dianteiros e travas elétricas, ABS e Air Bag, 4 portas, vermelho.

 

* 1.fraco!

–> Potência de 80 cv no etanol e 78 cv na gasolina, a 6400 RPM. (mas confesso que eram pangarés…)

–> Torque de 9,8 Kgf/m no etanol e 9,5 Kgf/m na gasolina, a 5200 RPM.

–> Peso em ordem de marcha: 1.011 Kg

–> Relação Peso x Potência: 12,66 quilos para cada cavalo de potência. Quanto menor o índice, melhor.

–> Peso em ordem de marcha: 1.013 Kg

–> Relação Peso x Potência: 12,63 quilos para cada cavalo de potência máxima. Quanto menor o índice, melhor.

 

* Combustível: Flex.

 

* Itens de segurança

–> Air Bag: Sim

–> ABS: Sim

–> EBD: Sim

–> ESP: Não

–> Controle de tração: Não

–> Controle de rampa: Não

–> Isofix: Não.

–> Cintos de segurança: Transversais e abdominal no assento do meio do banco traseiro.

 

* Categoria do veículo e locadora, quando houver.

–> Foi locado na Unidas Rent a Car de Curitiba, Categoria B, que contempla veículos compactos hatch 1.0 com ar condicionado, direção hidráulica e quatro portas..

–> Este veículo estava com aproximadamente 16 mil quilômetros rodados.

 

CONDIÇÕES DE USO

Misto (cidade + urbano)

Utilizei para uma viagem à SP e para rodar em Curitiba durante 1 semana.

 

AVALIAÇÃO

 

Espaço interno e porta-malas

O Ônix é um bom carro “compacto” que acomoda bem os passageiros e bagagens em termos de espaço, lembrando que não acho correto comparar ele a um HB20 e ao Ka, por exemplo, mesmo em se tratando de mesmas categorias (hatch 1.0). O correto é comparar ao Sandero e Fiesta RoCam devido o porte do carro.

 

Boa posição de dirigir, mas logo que se senta no banco do motorista se percebe que ele é carro visando atender ao público feminino. A elevação do banco, mesmo na posição mínima incomoda mais do que os outros carros que já dirigi. A boa notícia é que acertaram razoavelmente no conforto dos bancos.

Ainda sobre a posição de dirigir, ela faz você sentir que está dirigindo uma Kombi. Isso idem para HB20 e Ka, mas no Ônix é mais pronunciado este efeito. O Fiesta RoCam é o que tem a melhor posição de dirigir, disparado.

A elevação do banco do Ônix é dada somente na parte inferior do assento, ou seja, o banco não sobe inteiro igual ao Fiesta RoCam, ou até mesmo seu parente a antiga Meriva.

A regulagem do encosto é pouco intuitiva. Tipo 8 ou 80, pois a inclinação é feita por aquelas alavancas e não por roldanas, evitando assim um ajuste mais preciso.

A posição “H” é muito ruim, aliás, isso é típico desses carros feitos para o público feminino. Até o banco do “Corsa Classic Sedan” é melhor… Com meus 1,78 de altura minhas pernas ficam mal acomodadas. A base do banco é muito curta. É como você estivesse sempre “caindo” do banco pra frente. Outra hora faço uma matéria só para explicar como os engenheiros conseguem identificar a melhor posição “H” para os bancos dos veículos.

 

Tapetes mágicos! Ahhhhh isso é crônico de quase todas as locadoras. Eles são de qualidade bem baixa e escorregam para debaixo dos pedais. Como podem causar acidentes, costumo tirar eles. Para ajudar tem locadoras que ainda passam silicone no tapete!

 

Ar condicionado

O ar condicionado funciona bem, e auxiliado pela boa isolação acústica seus ouvidos agradecem. Mas como todo 1.nada, tenha paciência com o desempenho. Muuuuutia paciência!

Se há uma coisa que é extremamente irritante neste Chevrolet são os comandos de circulação do ar. São pouco intuitivos e pecam em detalhes, além de serem muito baixo ao alcance da mão. Isso eu identifique desde a Meriva 1.4 Joy que tive há alguns anos.

Por exemplo, se você está com a circulação do ar voltada só para os difusores dianteiros e quer mudar para os difusores do vidro você terá que dar uma volta completa no seletor! Até porque ele não gira por completo (360º) e tem “batentes” nestas duas opções.

onix_circulacao_ar

Se ele girasse 360º seria só mudar uma posição. O botão é bonitinho, mas ordinário e não tem boa “pega”, escorregando dos dedos.

Mais um exemplo: Digamos que está aquele calor do cão e chovendo, e você precisa dividir a circulação de ar entre os difusores frontais e difusores do vidro para dar uma desembaçada. ESQUEÇA! Ou você joga a potência máxima no vidro, ou divide entre o vidro e os pés (isso mesmo, seus pés ficarão geladinhos!)…

Pergunta: Qual é a dificuldade da engenharia em criar uma opção “vidro + frontal” igual à maioria dos carros? Mancada heim?!?!

 

Outra mancada que é típica da marca é não permitir fechar a circulação interna do habitáculo em algumas opções de seleção dos botões. Isso mesmo! Parece até que estamos falando de vídeo game!

Só é permitido fechar a circulação interna quando o ar condicionado estiver ligado, e não pode estar apontada a circulação para o vidro (WTF!!!). Mas porque isso é importante?

Simples, digamos que você está com o AC ligado apontado para o vidro, e na sua frente tem um veículo diesel soltando fumaça preta, ou até mesmo uma área de queimada na beira da estrada. Você aperta o botão de fechar a circulação eeeeeee, tcharam! NADA ACONTECE! Então a fumaça invade a cabine. Aconteceu isso comigo 3 vezes…

 

Nível de ruído

Este ponto me chamou a atenção positivamente. Eu sou entusiasta, então ando muito em função do som do motor, do giro…, e isso o Ônix deixa claro que: não é para se ouvir o som do motor. Ele é silencioso, muito mais que o HB20 e o Ka, e quando se está com janelas fechadas o habitáculo ficam bem agradável.

Os pneus Goodyear (ecaaaaa) são bem ruins. Ruidosos e com pouca aderência. Estes pneus são desenvolvidos nos EUA, aonde tem muita estrada de concreto, então sua composição é feita para não aquecer demasiadamente ao rodar, visto que o concreto faz o pneu esquentar mais que o asfalto comum. Só depois de alguns minutos de estrada e forçando um pouco nas curvas para ele pegar a temperatura ideal de aderência. Isso eu percebi desde a época que minha esposa tinha um Palio Fire 2004. Que saudades deste Palio!

 

Outra consideração sobre os pneus. As medidas oficiais deixam o carro muito amarrado. Para este carro o correto seria no máximo 175/65/R14, ante as 185/70/R14 originais.

 

Suspensão e rodado

Nota de louvor ao projeto do carro. Notadamente os carros de entrada da Chevrolet, desde os antigos Corsa Wind, a suspensão dianteira sempre foi muito mole, mas muito mesmo. Isso ainda existe nos Classic e Celta que circulam por aí. Pode até ser confortável, mas é perigoso! Explico: O carro para não perder a trajetória precisa “copiar” o solo sem oscilações verticais, e com uma suspensão muito mole a tendência é sair muito de dianteira devido às irregularidades do piso e perda de contato com o solo. Nisso o Ônix é bem firme e lembra muito a dianteira dos Fiesta RoCam. Deixa um pouco menos confortável, mas muuuuito mais estável. Eu adorei.

Contudo nas nossas maravilhosas ruas brasileiras vocês correm o risco de perder todas as obturações dos dentes! Usando a calibragem dos pneus conforme manda o “Manuel”, o carro é muito duro para uso urbano.

 

Vida a bordo

A versão LT que aluguei não tinha central multimídia, mas o som disponibilizado era bom. Os alto-falantes são bem simples, e digamos que são aquelas famosas “caixinhas de abelha”.

 

O computador de bordo é bem trivial, mostrando odômetro total, odômetro parcial e horas. O que se estranha muito quando você está tendo o primeiro contato com o carro é o painel semi-digital. Mais de uma vez ao passar por uma região de radar, eu bati o olho para conferir a velocidade e não conseguir ver qual valor marcava. Lembre-se que olhar para o velocímetro eu faço de maneira muito rápida para não perder a atenção no trânsito. A 60 Km/h você percorre mais de 14 metros por segundo, então é preciso se acostumar para não se envolver em acidentes.

 

O carro possui bons porta-trecos que ajudam a levar as tranqueiras, chaves, celular, controle do portão eletrônico, etc. O porta-luvas é estranho, pois abre para cima, mas não deixa de cumprir seu papel.

 

Aqui vai uma observação sobre a alça das portas e comandos dos vidros.

Os comandos dos vidros são bons, mas a posição deles parece que foi feito para quem tem braços iguais a um dinossauro! Exigem malabarismo e encolher bastante o braço para acionar os comandos. Exceto se você utilizar o banco beeeeem para trás, estilo “mano vida loka”, que no meu caso não se aplica.

A alça da porta fica situada muito recuada e baixa, totalmente fora do padrão de outros carros, inclusive da própria Chevrolet. Isso dificulta ao fechar/abrir a porta. Num dos dias que fiquei com o carro, minha esposa não conseguiu segurar a porta e por pouco a porta não raspou no meio-fio e fez aquele estrago.

 

Mais um item que recebe ressalvas são as frescuras com a chave no contato.

Desligue o carro e abra a porta para ouvir um irritante alerta sonoro, e pra ajudar, não destravam as portas se você não tirar a chave do contato. Talvez isso seja algum tipo de controle de segurança, mas não é padrão de outros carros.

Era até cômico os manobristas de estacionamento tentar fazer uma gentileza trazendo o carro e tentar abrir a porta. Eles não conseguiam parar com este barulho chato.

As maçanetas das portas deste carro são conhecidas por “assassinas de unhas” pela mulherada. Ela é grande em largura, mas curta em profundidade para pôr os dedos e levantar a alavanca. Sua área de contato é pequena e SEMPRE, toda vez que fui abrir as portas meus dedos escaparam e a porta fechou sozinha. Só uma criança teria melhor ergonomia para abrir a porta neste tipo de maçaneta.

 

Motorização e câmbio

O motor é razoável para quem se declara com 80 cv na pinga (etanol). Comparando com o HB20, perde nas acelerações e saída da inércia. Comparado com o Ka e o Fiesta, perde em altas rotações (mesmo o Fiesta sendo 8 cv menos potente! Não entendo isso…)

Por se tratar de um projeto de motor “velho” e adaptado as normas vigentes, é normal que seus números sejam piores comparados aos demais compactos, até porque o peso do carro joga contra.

A grande vantagem é que vibra menos por ainda ser 4 cilindros. Os 3 cilindros ainda “doem” nos meus ouvidos.

 

A melhor faixa de rotação dele é entre 2500 RPM e 4500 RPM, pois acima de 4500 RPM só faz barulho e não rende! Isso é padrão dos motores GM, exceto a antiga família III 1.8 e 2.0 que tem muito torque em baixa rotação e não exigem subir tanto o giro na condução.

 

Consumo

Infelizmente nesta viagem dei uma mancada. Eu registrei o KM inicial e KM final somente por fotos, mas não as encontrei. A única coisa que tenho são os cupons fiscais, cujo consumo anoto atrás dos mesmos.

Não dá pra dizer que foi ruim, mas também não foi boa comparado ao concorrente Ka, rodando na pinga na estrada.

Fez 10 Km/l (aprox.) andando em média a 120 Km/h na Régis Bittencourt (BR-116), sem AC ligado. O Ka fez 12 Km/l com ar condicionado ligado e condição de estrada similar. Para critério de comparação, o meu ex-Focus 2.0 GLX fazia 10 Km/l andando a mais de 120 Km/h (bem mais…).

Na cidade fez 9,2 Km/l na pinga. Bom número, mas sem AC ligado.

 

COMENTÁRIOS GERAIS

Sempre chamei o Ônix de “Corsão”, e definitivamente ele é um “Corsão”, mais ajeitado é verdade :D. Tive uma Meriva 1.4 Joy e vários detalhes na construção da mesma foram sanados neste projeto. É bom de dirigir, mas os pneus largos são ruins para proposta. Deixam o carro muito amarrado.

Seu comportamento dinâmico é idêntico a um Corsa de última geração, mas o carro se tornou mais agradável e mais “refinado” com novo ajuste da suspensão para compensar o centro de gravidade mais alto. A direção hidráulica é mais pesada que a concorrência (só o Sandero é mais pesada), mas pra mim isso é uma vantagem. Vale a pena ir até uma concessionária para conhecer, e tem uma relação custo/benefício melhor que seus concorrentes “1.fraco” nas versões “peladão”. Por sinal, acho muito “estranho” algumas locadoras colocarem o HB20 ConfortPlus em nível maior que o Ônix LT, sendo que deveria ser ao contrário.

20160701_135610

 

Pergunta crucial

Independente de preço ou poder aquisitivo, você compraria este carro?

Para uso rodoviário não, pois são muito desconfortáveis os bancos para ficar horas dirigindo. Para trechos de viagem de no máximo 2 hrs, aí sim seria uma opção, mas só na versão 1.4.

Para uso urbano talvez, mas eu teria que reforçar as obturações dos meus dentes! 😛

 

Grande abraço!
Eder Matias

 

Você viu minha avaliação anterior de um Hyundai HB20 1.0?
Acesse:

Avaliando HB20 Confort Plus 1.0 Flex 12 válvulas 2015/2016 – 188 Km

 

Eder Avalia

2 thoughts on “Avaliando Chevrolet Ônix 1.0 2015/2016 – LT”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias

Arquivos

Nosso Feed