25/01/2021

carros testados e avaliados

Avaliando Onix LT1 1.0 2020
Chevrolet Onix LT1 1.0 aspirado

 

No 1º turno das Eleições Municipais (15NOV20) precisei de um carro para ir a São Caetano do Sul/SP e o carro locado desta vez foi um Chevrolet Onix LT1 com motor 1.0 aspirado. Também troquei de locadora, a anterior só estava me trazendo decepção, raiva e chateação. Foram 1.208 km rodados, vamos aos detalhes:

 

Condições do teste:

O período de locação foi do dia 14 a 16 de novembro, o carro rodou em perímetro urbano nas cidades de São Paulo/SP, São Caetano do Sul/SP e Belo Horizonte/MG com sol entre nuvens, e as vezes com tempo chuvoso e temperatura média em torno de 30ºC e dessa vez enfrentou trânsito pesado em um pequeno trecho do Anel Rodoviário na saída de Belo Horizonte, além de chuva leve em alguns trechos da rodovia BR-381 Fernão Dias.

 

Viajando para São Caetano do Sul:

 

> Sai de Belo Horizonte as 13h00 pelo Anel Rodoviário Celso Mello Azevedo.
+ 1:33min
> As 14h33min passei pelo 1º pedágio em Itatiaiuçu/MG no KM 546. São 8 pedágios até São Caetano do Sul todos na BR-381 Rodovia Fernão Dias sendo todos pertencentes a concessionária Autopista Fernão Dias e todos no valor de R$ 2,30. Demorei um pouco mais do que o normal para percorrer o trecho devido trânsito pesado no Anel Rodoviário na altura do aeroporto Carlos Prates.
+ 0:36min
> As 15h09min passei pelo 2º pedágio em Carmópolis de Minas/MG no KM 596. Demorei um pouco mais do que o normal para percorrer o trecho devido chuva leve.
+ 0:10min
> As 15h19min fiz uma parada no GRAAL OLIVEIRA para almoçar, e dessa vez consegui almoçar porque cheguei antes das 15h30. Permaneci 50 minutos parado, saindo as 16h09min
+ 0:28min
> As 16h37min passei pelo 3º pedágio em Santo Antonio do Amparo/MG no KM 659
+ 0:48min
> As 17h25min passei pelo 4º pedágio em Carmo da Cachoeira/MG no KM 733
+ 0:41min
> As 18h06min passei pelo 5º pedágio em São Gonçalo do Sapucai/MG no KM 804
+ 0h22min
> As 18h28min fiz uma parada no GRAAL BELA VISTA em São Sebastião da Bela Vista/MG para esticar as pernas e fazer um lanche. Permaneci 32 minutos parado, saindo as 19h00min.
+ 0:36min
> As 19h36min passei pelo 6º pedágio ainda no Estado de Minas Gerais que fica em Cambuí no KM 902.
+ 0:37min
> As 20h13min passei pelo 7º pedágio este já no Estado de São Paulo que fica em Vargem no KM 007

 

+ 0:20min
>De repente aconteceu um fato já esperado, eu estava monitorando o consumo de combustível porque ao passar pelo posto da Polícia Rodoviária Federal de Três Corações/MG (terra do Pelé) que fica exatamente na metade do caminho para São Paulo reparei que o nível do combustível estava abaixo da metade. Deste modo eu já esperava ter que abastecer o carro ainda na rodovia e bastou passar pela cidade de Atibaia/SP e o carro abriu a reserva. Acontece que eu passei sem perceber a entrada da cidade de Mairiporã, a cidade seguinte, a intenção era abastecer lá. Fiquei preocupado porque o computador de bordo que vinha informando a autonomia quando chegou em 40 km simplesmente parou de informar e o pior não informava mais nada, nem autonomia, nem velocidade, nem odômetro e na tela do computador aparecia apenas uma mensagem de que eu deveria parar para abastecer imediatamente.

 

+ 0:18min
> Por fim, as 20h51 passei pelo 8º e último pedágio em Mairiporã/SP no KM 066. Aqui aproveitei para perguntar para a atendente como eu poderia retornar para Mairiporã para poder abastecer uma vez que eu teria que subir a Serra da Cantareira e só iria encontrar posto de serviço do outro lado no fim da Serra já em São Paulo. A atendente do pedágio aconselhou fazer um retorno a esquerda no próprio pedágio e retornar para o centro de Mairiporã. Acontece que essa manobra me custaria ter que pagar 2 pedágios a mais, um voltando para o centro de Mairiporã do outro lado da pista e pagar novamente aquele que eu já tinha acabado de pagar no sentido São Paulo. Achei a proposta indecente e resolvi arriscar e subir a Serra da Cantareira com o carro pedindo “Pelo amor de Deus, abasteça”.

 

+ 0:09min
> Depois que passei o túnel da Mata Fria, desci a Serra “na banguela” e parei no primeiro posto que vi quando terminou o trecho de serra. Não era um posto Ipiranga mas naquele momento crucial o que menos importava era a bandeira do posto. Parei as 21h00 e sai do posto as 21h16 com o tanque cheio de etanol.

 

+ 0:54min
Cheguei em São Caetano do Sul as 22:10min totalizando 9 horas e 10 minutos de viagem. Descontando 1 hora e 22 minutos que permaneci parado nos dois pontos de parada mais 16 minutos no posto para abastecimento do carro e a viagem durou ao todo 7 horas e 32 minutos. Sai de Belo Horizonte com 3.689 km marcados no odômetro do carro e cheguei com 4.279 km, ou seja, rodei 590 km. Uma média de 78,3 km/h.

 

Neste momento eu reparei uma coisa estranha neste carro afinal depois que eu aprendi o caminho certo para sair de Belo Horizonte tenho feito sempre o mesmo caminho e nas duas locações anteriores com o Ford Ka e com o Volkswagen Gol a quilometragem ficou em 600 km rodados com o Ka e 599 km rodados com o Gol diferença de apenas 1 km para os dois. Já com esse Chevrolet Onix a diferença foi de 10 km a menos quando comparado com o Ka (consulte o artigo sobre o Ford Ka na íntegra clicando aqui) e de 9 km a menos quando comparado com o Gol (consulte o artigo sobre o Volkswagen Gol na íntegra clicando aqui) Eu desconheço completamente a causa da diferença de marcação apresentada neste carro e para tirar a dúvida eu entrei com os dados da rota no Google Maps que indicou 596 km em 7h20min, ou seja, se eu considerar que o carro rodou na verdade 596 km apesar de marcar apenas 590 km a média horária sobe 1 km e fica em 79 km/h. Resumindo, o Onix LT1 não marca corretamente a quilometragem que o carro roda. Resta saber se é um problema desta unidade específica ou se todo Onix LT1 é problemático assim. Outro carro igualmente problemático na questão da quilometragem rodada é o Sandero que registrou uma quilometragem menor ainda para esse trajeto, para o Sandero (o qual eu ainda não tive oportunidade de locar novamente para tirar a dúvida) esse mesmo trecho tem apenas 588 km (consulte o artigo sobre o Renault Sandero na íntegra clicando aqui) vai entender.

 

Total gasto com pedágio: R$ 18,40

 

Voltando para Belo Horizonte:

 

> Sai de casa as 4h55min em direção à BR-381 Rodovia Fernão Dias
+ 0:42min
> As 5h37min passei pelo 1º pedágio em Mairiporã/SP no KM 065. Todos os pedágios nessa rodovia pertencem a concessionária Autopista Fernão Dias e são todos no valor de R$ 2,30
+ 0:34min
> As 6h11min passei pelo 2º pedágio ainda no Estado de São Paulo que fica em Vargem no KM 007.
+ 0:35min
> As 6h46min passei pelo 3º pedágio já no Estado de Minas Gerais que fica em Cambuí no KM 902
+ 0:38min
> As 7h24min fiz uma parada no GRAAL BELA VISTA em São Sebastião da Bela Vista, que na volta para Belo Horizonte fica do outro lado da rodovia, para esticar as pernas e fazer um lanche. O retorno para acessar o GRAAL aumenta a quilometragem da viagem de volta em 8 km. Permaneci 22 minutos parado, saindo as 7:46min.
+ 0:25min
> As 8h11min passei pelo 4º pedágio em São Gonçalo do Sapucai/MG no KM 804
+ 0:41min
> As 8h52min passei pelo 5º pedágio em Carmo da Cachoeira/MG no KM 733
+ 0:32min
> As 9h24min fiz uma parada no GRAAL SHOPPING para esticar as pernas. Permaneci 26 minutos parado, saindo as 9:50min
+ 0:19min
> As 10:09min passei pelo 6º pedágio em Santo Antonio do Amparo/MG no KM 659
+ 0:36min
> As 10:45min passei pelo 7º pedágio em Carmópolis de Minas/MG no KM 596
+ 0:31min
> As 11h16min passei pelo 8º e último pedágio em Itatiaiuçu/MG no KM 546

 

+0:24min
> De repente aconteceu de assim que comecei a subir a Serra de Brumadinho/MG o carro abriu a reserva. Fiquei preocupado de não conseguir terminar de subir a Serra pois quando estava no meio dela aconteceu de novo como na viagem de ida, quando o computador de bordo acusou que só teria mais 40 km de autonomia ele novamente travou na tela de “Abasteça pelo amor de Deus”. E quando eu finalmente consegui terminar de subir a Serra de Brumadinho fiquei mais tranquilo, pois desci na “banguela” até a entrada do município de Igarapé/MG onde eu encontrei um posto Ipiranga e parei para abastecer. Parei as 11h40 e sai do posto as 12h01 com o tanque cheio de etanol.

 

+00:45min
Cheguei em Belo Horizonte, no bairro do Ipiranga, as 12:46min. Totalizando 7 horas e 51 minutos de viagem. Descontando 48 minutos que permaneci parado nos dois pontos de parada, mais 21 minutos parado no posto de combustível e a viagem durou 6 horas e 42 minutos. Sai de São Caetano do Sul com 4.293 km marcados no odômetro do carro e cheguei com 4.893 km, ou seja, rodei 600 km. Uma média de 89,6 km/h. O Google Maps indica 599 km em 7h52min. Entretanto devemos somar os 8 km a mais que eu rodo na viagem de retorno para acessar o GRAAL BELA VISTA, em São Sebastião da Bela Vista, que na volta para Belo Horizonte fica do outro lado da rodovia, totalizando então 607 km, ou seja, temos ai uma diferença de 7 km a menor. Resumindo, o veredito foi confirmado, o carro não é capaz de registrar corretamente os quilômetros que ele roda, o que a meu ver é um defeito grave. Isto significa que o Onix LT1 tem o mesmo problema do Renault Sandero, que medo desses carros. Resta saber se é um defeito apenas desta unidade específica ou se todo Onix LT1 tem esse problema.

 

Total gasto com pedágio na volta: R$ 18,40

 

A avaliação do carro em números:

 

Custo efetivo da locação: A locação do veículo ficou em R$ 370,00 sendo 2 diárias de R$ 150,00 cada uma, e uma multa de R$ 70,00 por devolver fora do horário combinado e mais nada, pois as proteções básicas (roubo/furto/colisão/incêndio), mais a proteção a terceiros já estão inclusas no preço, também não existe a taxa de aluguel de 12% e fui isento da taxa de lavagem do carro na devolução porque quando eu peguei o carro ele não estava com tanque cheio então ficou “elas por elas”. Com combustível foram gastos outros R$ 333,26. Total Geral: R$ 703,26 ou R$ 0,58 por quilômetro rodado uma vez que foram rodados 1.208 km com o carro. Retirei o carro na UNICAR com 3.686 km e devolvi com 4.894 km. Veículo de cor branca, grupo HATCH 1.6

 

Quanto a locadora, ainda estamos em “lua de mel” afinal foi minha primeira experiência com a UNICAR http://locadoraunicar.com.br E como em um casamento que dura muitos anos a comparação com a Ex-Locadora é inevitável. Então assim, a UNICAR é uma locadora pequena que ainda está crescendo, então me fez lembrar o início do relacionamento com a Localiza cujo casamento durou 28 anos. Lá nos anos 90 a Localiza não dividia a locação em 10 vezes sem juros como é hoje, é o caso da UNICAR que dividiu o valor da minha locação em apenas 2 parcelas. Na UNICAR como era a Localiza no início ainda existe aquele “check list” em que o funcionário registra tudo em um papel: arranhões, pequenos amassados, riscos que hoje em dia a Localiza nem olha mais, lá na UNICAR existe. Na Localiza nunca aconteceu mas na UNICAR eu negociei o meu aluguel com um dos donos da locadora. Resumindo, é tudo muito novo e diferente, chega até mesmo a ser engraçado algumas coisas mas vamos lá, é preciso dar crédito aos novos empreendimentos e olha que curioso, essa locadora fica na metade do caminho que eu percorria para chegar até a loja da Localiza, o que já é uma grande vantagem.

 

Consumo efetivo apurado: Desta vez foi preciso abastecer porque eu peguei o carro com apenas meio tanque.

 

Ao parar no posto de combustível para abastecer, posto ALMADA & CIA – bandeira Ipiranga – localizado na Rua Jacuí, 3880 – bairro Ipiranga – Belo Horizonte – MG, entraram 20,9 litros de etanol no tanque até o destravamento da bomba de combustível totalizando R$ 65,93 com o etanol a R$ 3,16 o litro. A quilometragem no momento do abastecimento era de 3.689 km

 

Como informado anteriormente o carro precisou ser abastecido na viagem de ida ainda na rodovia, parei para abastecer no Posto Boxter localizado na Rua General Jerônimo Furtado, 276 – Jardim Modelo – São Paulo/SP e entraram 42,1 litros de etanol no tanque até o destravamento da bomba de combustível totalizando R$ 122,00 com o etanol a R$ 2,90 o litro. A quilometragem no momento do abastecimento era de 4.257 km, ou seja, eu rodei 568 km com o que tinha no tanque (que nunca sabemos o que tem dentro quando pegamos o carro na locadora porque ele já vem abastecido), e a média foi de 13,5 km/l em percurso 1090-M (10% em perímetro urbano com limite máximo de velocidade de 60 km/h e 90% em rodovia com limite máximo de velocidade variável entre 80 e 110 km/h, com ar condicionado desligado e M de carga média de 2 ocupantes com bagagem na maior parte do tempo).

 

Para manter a precisão do nosso teste, no dia seguinte, dia 15 de novembro, dia das Eleições Municipais, já em São Caetano do Sul completei o tanque de combustível antes de retornar para Belo Horizonte. Parei para abastecer no LEANDRINI AL POSTO DE COMBUSTÍVEL LTDA – bandeira Ipiranga – localizado na Estrada das lágrimas, 1270 – Jardim São Caetano – São Caetano do Sul – SP e entraram 3,2 litros de etanol no tanque até o destravamento da bomba de combustível totalizando R$ 10,49 com o etanol a R$ 3,28 o litro. A quilometragem no momento do abastecimento era de 4.281 km, ou seja, eu rodei 24 km com o etanol que coloquei no posto anterior, e a média foi de 7,6 km/l em percurso 8020-M (80% na cidade com limite máximo de velocidade de 60 km/h, 20% em rodovia com limite máximo de velocidade variável, com ar condicionado desligado e M de carga média de 2 ocupantes com bagagem na maior parte do tempo). CQR = Custo por Quilômetro Rodado com etanol rodando 80% na cidade: R$ 0,43 por KM rodado.

 

Como já relatado anteriormente também, precisei abastecer o carro antes de chegar em Belo Horizonte e no abastecimento no Posto Cidade Igarapé – bandeira Ipiranga – localizado na BR-381, s/n – Bairro Sede – Igarapé – MG entraram 42,2 litros de etanol no tanque até o destravamento da bomba de combustível totalizando R$ 134,84 com o etanol a R$ 3,20 o litro. A quilometragem no momento do abastecimento era de 4.840 km, ou seja, eu rodei 559 km com o etanol que coloquei no tanque de combustível em São Caetano do Sul e a média foi de 13,2 km/l em percurso 1090-M (10% em perímetro urbano com limite máximo de velocidade de 60 km/h e 90% em rodovia com limite máximo de velocidade variável entre 80 e 110 km/h, com ar condicionado desligado e M de carga média de 2 ocupantes com bagagem na maior parte do tempo). CQR = Custo por Quilômetro Rodado com etanol rodando 90% em rodovia: R$ 0,24 por KM rodado.

 

E o cálculo total do consumo ficou assim então: rodei 1152 km e o carro consumiu 87,5 litros de combustível, uma média de 13,2 km/l (custo de R$ 0,27 por quilômetro rodado com combustível)

 

Não foi preciso escolher com qual combustível abastecer o carro no momento da devolução à locadora, afinal o carro era flex e nesse caso não há o que pensar, a regra é abastecer sempre com o combustível mais barato pois quem irá utilizá-lo será o próximo locatário.

 

O consumo segundo o INMETRO: Para o INMETRO – Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia, esse é um veículo de índice A na Comparação Relativa na Categoria e na Comparação Absoluta Geral é índice A também, ou seja, para o INMETRO ele é um veículo eficiente do ponto de vista do consumo de energia.

Consumo de 9,9 km/l na cidade e 11,7 km/l na rodovia para etanol

Consumo de 13,9 km/l na cidade e 16,7 km/l na rodovia para gasolina

 

Tabela de consumo do INMETRO 2020 completa e atualizada.
Este veículo possui o selo CONPET de eficiência energética. Para consulta: (clique aqui)

 

Conferindo a calibragem dos pneus: Os pneus 185/65 R15 pediam 35 psi na frente e 35 psi nos pneus traseiros. Conferi a calibragem e todos estavam relativamente calibrados, o dianteiro esquerdo estava com 35 psi, o dianteiro direito estava com 34 psi, o traseiro esquerdo estava com 36 psi e o traseiro direito estava com 35 psi. Não havia nenhum com diferença maior do que 1 psi para mais ou para menos do recomendado no Manual do Proprietário do carro, exceto o estepe. Este é do tipo temporário e de medida diferente dos demais, a medida dele é 115/70 R15, e deve ser calibrado com 60 psi, mas estava como os demais, com apenas 35 psi. Foi preciso então calibrar o estepe para 60 psi, acontece que o calibrador do posto não estava aguentando por essa pressão toda dentro de um pneu pequeno, ele demorou tanto para encher o pneu que foi preciso colocar 4 moedas de R$ 1,00 para que o calibrador chegasse na calibragem correta.

 

Aqui no Avalia Carros já abordamos a importância da calibragem dos pneus ao locar um veículo porque já tivemos vários problemas como esse ao longo de nossas locações, é o ponto FRACO das locadoras sobretudo a Localiza. As locadoras em geral tem dificuldade em manter os pneus calibrados e em boas condições de uso, inclusive criamos um Check List para que o nosso leitor não passe por esse tipo de perrengue no momento da locação (confira clicando aqui).

 

Custo total geral:
> Calibragem de pneu em Belo Horizonte: R$ 4,00 (em São Caetano do Sul é grátis)
> Pedágios: R$ 36,80
> Locação: R$ 370,00
> Combustível: R$ 333,26
> Custo total: R$ 744,06 que divididos pela quilometragem total rodada: 1.208 km perfaz o total de R$ 0,62 por KM Rodado.

 

Isto comprova o que sempre escrevemos aqui: “carro é feito para ser utilizado” e não ficar guardado na garagem (consulte o artigo na íntegra clicando aqui) , o custo da locação ficou salgado em compensação a quilometragem rodada fez o Custo por Quilômetro Rodado cair para um valor que só se consegue andando de moto. É o chamado Custo x Benefício (consulte o artigo na íntegra clicando aqui) se o custo é alto mas o benefício é grande o valor cai. Eu tenho uma motoneta Honda Lead 110 a qual o Custo por Quilômetro Rodado é de R$ 0,69 (sessenta e nove centavos por KM rodado) 7 centavos a mais que o Custo por Quilômetro Rodado obtido nesta locação.
Confira os custos por KM rodado da minha Honda Lead 110 clicando aqui

 

Desafio dos 600 km

 

O Onix LT1 1.0 aspirado foi REPROVADO no desafio dos 600 km, não sendo capaz de rodar mais de 600 km abastecido com etanol. Como relatado anteriormente foi preciso abastecer o carro ainda na rodovia tanto na ida para São Paulo quanto na volta para Belo Horizonte mesmo ele batendo o recorde de economia e fazendo 13,2 km/l com etanol na rodovia. Acontece que a GM sabendo que o carro era mais econômico que seu antecessor acabou por diminuir a capacidade do tanque de combustível. Sim, meus amigos, a GM fez isso, o Onix Joy possui um tanque de combustível de 54 litros e esse novo modelo possui um tanque com míseros 44 litros, ou seja, 10 litros a menos na capacidade em relação ao Onix Joy. É por isso que o Onix Joy foi aprovado no desafio e seu irmão mais novo não. Com um tanque de combustível tão pequeno não foi possível ao carro cumprir o desafio, afinal no abastecimento em São Paulo entraram 42,1 litros de etanol no tanque até o destravamento da bomba de combustível, ou seja, restavam 1,9 litros no tanque, e eu precisava rodar mais 24 km até em casa, e com o carro fazendo 13,2 km/l até que seria possível percorrer essa quilometragem, entretanto eu já estava próximo do fim da rodovia Fernão Dias e ia entrar em perímetro urbano onde a consumo subiu e a média caiu para apenas 7,6 km/l, ou seja, não tinha como chegar em casa.

 

Da mesma forma na viagem de volta foi preciso abastecer ainda em Igarapé, 55km distante de casa e entraram 42,2 litros de etanol no tanque até o destravamento da bomba de combustível, ou seja, dentro do tanque continha apenas 1,8 litros de etanol. E não há como continuar a viagem com o computador de bordo do carro se recusando a fornecer qualquer outro tipo de informação caso não se pare para abastecer. Bem diferente do computador de bordo do Ford Ka, o único que já tive oportunidade de testar que te informa até o final do combustível a autonomia do carro, só para de informar quando se tem menos de 2 litros no tanque, excelente, pois não te deixa na mão no momento em que mais se precisa saber quantos quilômetros ainda se pode rodar sem o tanque secar completamente e o carro parar por falta de combustível (consulte o artigo sobre o Ford Ka na íntegra clicando aqui). O do Onix se recusou a fornecer a autonomia já a partir de 40 km restantes para o fim da autonomia e travou qualquer outro tipo de informação. Uma pena porque se o carro tivesse um tanque apenas 6 litros maior na capacidade o carro além de ser aprovado no desafio dos 600 km ainda bateria o recorde de autonomia que por sinal pertence ao próprio Onix mas é o modelo Joy com tanque de 54 litros. Lembrando que segundo o INMETRO o consumo de etanol do Onix 1.0 LT1 é de 11,7 km/l na rodovia e foi muito melhor que isso fazendo uma média de 13,2 km/l.

 

E assim o Onix LT1 passa a fazer companhia ao FIAT Argo, outro carro REPROVADO no Desafio dos 600 km por conta de seu tanque de combustível de apenas 48 litros. (consulte o artigo sobre o FIAT Argo na íntegra clicando aqui)

 

E assim termina a segunda parte desta avaliação. Em breve, as considerações finais.

 

Ricardo Rico
Membro da equipe Avalia Carros, Ricardo Rico é Instrutor de Trânsito formado pelo CEVAT credenciado pelo DETRAN/SP e também é DOV – Despachante Operacional de Voo.

 

Viu a primeira parte da avaliação?
Acesse:

Avaliação | Onix 1.0 LT | 3686 km

 

O Avalia Carros é uma iniciativa independente e como tal está aberto às propostas de negociação para parcerias de colaboração e publicidade, caso seja de seu interesse deixe recado nos comentários que entraremos em contato.
Equipe Avalia Carros

 

Rico Avalia

One thought on “Avaliação | Onix LT 1.0 | Test Drive Estendido”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias

Arquivos

Nosso Feed